Março 2016 - Ainda sou do tempo

quinta-feira, 31 de março de 2016

... do programa Jardim da Celeste

quinta-feira, março 31, 2016 0
... do programa Jardim da Celeste


Jardim da Celeste foi um programa infanto-juvenil que passou na RTP no final dos anos 90, apresentado pela actriz Ana Brito e Cunha e que misturava marionetas, desenhos animados e textos pedagógicos e educativos.

Passou nos dois canais públicos, primeiro na RTP 1 e depois na RTP 2, repetindo nos dois canais durante alguns anos, tendo tido também algum sucesso na RTP Internacional. Com textos coordenados por Isabel Medina, o programa tentava sempre ter uma forte componente pedagógica com o apoio de Maria Emília Santos, Ana Branco e Noélia Macedo.

Esses textos eram interpretados pelos bonecos que tinham a voz de actores como Heitor Lourenço, Jorge Sequeira, Rui Paulo,Carla de Sá ou Paulo Oom, dirigidos pelo grande António Feio. A educadora Celeste e o seu cão Sócrates ajudavam as crianças Beatriz, Olívia, Gaspar, Ernesto, Carolina e Xavier a aprenderem e descobrirem várias coisas.












quarta-feira, 30 de março de 2016

... do Astérix

quarta-feira, março 30, 2016 0
... do Astérix

Talvez o Gaulês mais famoso de todos os tempos, Astérix está no panteão das grandes personagens de BD por seu próprio direito, encantando gerações diferentes de crianças e ficando para sempre na sua memória. Protagonista de 34 álbuns, teve direito também a adaptações para filmes de animação e outros de imagem real.

Criação do argumentista René Goscinny e com arte de Albert Uderzo, Astérix começou por aparecer na revista Pilote em 1959, tendo estrelado o seu primeiro álbum em 1961 e aparecendo depois dessa forma regularmente todos os anos.Esses álbuns são traduzidos para mais de 83 línguas e 29 dialectos, incluindo o português e o mirandês, por cá foi publicado por diversas editoras de todas as formas, capa dura e capa mole, com as edições da Meribérica a serem as mais populares entre o público.

Apesar de não ser o chefe da sua aldeia, este pequeno guerreiro é indiscutivelmente o líder do grupo, sendo sempre o escolhido para missões que possam salvar a aldeia ou a própria Gáulia. Bastante astuto e inteligente, é também bastante corajoso e sempre pronto a enfrentar os desafios, quase sempre com a companhia do seu melhor amigo Obélix e a poção mágica do druida..

Facilmente reconhecido pelo seu farto bigode e capacete alado, com as asas a mudarem de posição conforme o humor do herói. È uma pedra no caminho de Júlio César que vè nele uma das maiores ameaças da aldeia dos loucos. Sempre fui mais fã do Obélix, mas existe um ou outro álbum onde fico fã deste pequeno, mas grande, herói.



















segunda-feira, 28 de março de 2016

... do Filme Onde Pára a Polícia

segunda-feira, março 28, 2016 0
... do Filme Onde Pára a Polícia

Foi uma das comédias que marcou o final dos anos 80 e começo da década de 90, e é considerada ainda hoje como uma das melhores comédias de todos os tempos. The Naked Gun: from the files of Police Squad! era baseada na série de TV Police Squad, tendo sido escrita pelo mesmo grupo de argumentistas e conseguindo com que Leslie Nielsen continuasse como protagonista.

A manutenção do veterano actor ajudou ao sucesso da película, as suas expressões faciais e corporais ajudavam a dar vida a todas as loucuras escritas por Jerry Zucker, Jim Abrahms, David Zucker e Pat Proft. Os fãs de filmes como Aeroplano ficaram logo rendidos a tudo isto, sendo um sucesso de crítica e de bilheteira. Tinha referências a diversos filmes, mas uma história que ia além das várias sequências de gags e um elenco que acompanhava Nielsen na perfeição, como OJ Simpson, George Kennedy ou Priscilla Presley. O carismático Ricardo Montalban complementava a coisa, dando um típico vilão dos anos 80.

Saíram mais duas sequelas, uma em 91 e outra em 94, conseguindo manter este espírito de loucura na conturbada e mais séria década de 90. Quem era fã de Frank Drebin?





















quarta-feira, 23 de março de 2016

... do Anime Capitão Falcão Tsubasa Oliver e Benji

quarta-feira, março 23, 2016 0
... do Anime Capitão Falcão Tsubasa Oliver e Benji

Tsubasa foi um dos primeiros animes de grande sucesso em Portugal. Conhecido como Capitão Falcão na sua primeira passagem na RTP, a personagem virou uma febre com todos os jovens a ficarem fãs das jogadas mirabolantes que as personagens efectuavam, ou das defesas fantásticas dos guarda redes. Ficou para sempre conhecido pelo número de episódios que um jogo podia ter, algo que tivemos de novo mais tarde com as lutas do Dragon Ball.

A TV2 estreou este anime em 1993, dava pelo final da manhã na sua versão original e com legendas em português, o sucesso entre os mais novos fez com que a partir do episódio 57 este programa passasse a ser transmitido pelo Canal 1, desta feita na sua versão italiana, mantendo na mesma obviamente as legendas em português.

Baseado no Manga de Yoiishi Takahashi de 1981, a série pretendia promover o desporto no Japão, tornando-se um êxito lá e em outros países como Portugal, Itália ou Brasil. Originou mais séries, firmes e especiais, conquistando diversas gerações. Cá não fomos excepção, e já em pleno Século XXI foi um grande sucesso numa versão dobrada em portugues com o nome Oliver e Benji e transmitida no Canal Panda.


Tsubasa era um estudante japonês apaixonado pelo futebol, e muda-se para outra cidade de modo a poder ficar num dos colégios com melhores condições para a prática desse desporto. Por lá encontra Roberto, um ex jogador brasileiro que era amigo do seu pai e vira o seu mentor.

A rivalidade saudável com Benji dava outra emoção ao desenho, e começámos a ficar também apaixonados pelas outras personagens, como os gémeos ou o Mark Lander. Quem não era fã das jogadas fantásticas que efectuavam?














segunda-feira, 21 de março de 2016

... da Música Conquistador dos Da Vinci

segunda-feira, março 21, 2016 0
... da Música Conquistador dos Da Vinci

Recordar uma das músicas que marcou toda uma geração após a sua vitória no Festival RTP da canção. O grupo Da Vinci venceu a edição em 1989 com uma canção forte e com um refrão que ficava bem no ouvido, durante semanas andavam liceus inteiros a cantar isto e ficou para sempre na nossa memória.

Na Eurovisão ficaram no 16º lugar com 39 pontos, algo a lamentar já que era sem sombra de dúvidas uma música bem festivaleira, para além de revisitar a história do nosso país e enaltecer os feitos dos tempos das descobertas.



Era um mundo novo
Um sonho de poetas
Ir até ao fim
Cantar novas vitórias
E ergueram orgulhosas bandeiras
Viver aventuras guerreiras
Foram mil epopeias
Vidas tão cheias
Foram oceanos de amor

Já fui ao Brasil
Praia e Bissau
Angola Moçambique
Goa e Macau
Ai, fui até Timor
Já fui um conquistador

Era todo um povo
Guiado pelos céus
Espalhou-se pelo mundo
Seguindo os seus heróis
E levaram a luz da cultura
Semearam laços de ternura
Foram mil epopeias
Vidas tão cheias
Foram oceanos de amor

Já fui ao Brasil
Praia e Bissau
Angola Moçambique
Goa e Macau
Ai, fui até Timor
Já fui um conquistador

Já fui ao Brasil
Praia e Bissau
Angola Moçambique
Goa e Macau
Ai, fui até Timor
Já fui um conquistador

Foram dias e dias
E meses e anos no mar
Percorrendo uma estrada de estrelas
A conquistar

Já fui ao Brasil
Praia e Bissau
Angola Moçambique
Goa e Macau
Ai, fui até Timor
Já fui um conquistador

Já fui ao Brasil
Praia e Bissau
Angola Moçambique
Goa e Macau
Ai, fui até Timor
Já fui um conquistador

Fui conquistador
Fui conquistador
Fui conquistador










quinta-feira, 10 de março de 2016

... do Maradona

quinta-feira, março 10, 2016 0
... do Maradona

Considerado por muitos o melhor futebolista de todos os tempos, Diego Maradona espalhou a sua magia pelos relvados nas décadas de 80 e 90, mas viu a sua carreira chegar ao fim antes do tempo devido a problemas com a droga. Quem o viu a jogar não esquecerá por certo os grandes momentos que nos proporcionou ao serviço da Argentina ou do Nápoles.

Diego Armando Maradona nasceu a 30 de Outubro de 1960, numa província de Buenos Aires, Argentina, estreando-se de forma profissional aos 16 anos de idade no Argentinos Júnior, clube onde ficou durante cinco anos antes de se transferir para o Boca Juniors em 1981, sagrando-se campeão no final da época e sendo depois transferido por um número recorde para o Barcelona.

No clube Catalão começou logo a mostrar toda a sua classe, especialmente a sua capacidade impressionante para o drible,vencendo a Taça do Rei e a Supertaça espanhola, enfrentando respectivamente o Real Madrid e o Atlético Madrid. No El Classico tornou-se o primeiro jogador do Barcelona a ser aplaudido de pé pelos fãs do Real no Santiago Bernabéu, em homenagem ao golo que marcara naquele estádio.

Era o verdadeiro nº 10, aliando a sua excelente visão de jogo a uma qualidade técnica acima da média e uma excelente capacidade de drible. A sua baixa estatura fazia com que aguentasse bem a pressão física dos outros jogadores, o que fazia com que avançasse sozinho para a baliza ou então que subisse até a grande área adversária para depois fazer passes mortíferos para os seus companheiros.


Algumas lesões impediram o jogador de fazer mais por Espanha, enquanto que o seu mau feitio contribuiu para que originasse situações insustentáveis. como a que aconteceu na final da taça do Rei contra o Athletic Bilbau, onde depois de ser ofendido pelos adeptos e alguns jogadores adversários, acabou por agredir alguns deles, iniciando uma batalha campal que nada dignificou o futebol.

Acabou transferido para o Nápoles de Itália em 1984, envolvendo mais uma verba recorde para a altura, sendo ainda hoje o único jogador a conseguir esse feito. Com uma equipa a ser construída com ele como pivot central, as esperanças dos adeptos eram imensas, especialmente porque se atravessava uma fase de conflitos entre o Sul e Norte do país.

Não foi por isso de estranhar os festejos que aconteceram quando El Pibe levou os napolitanos ao título de campeão, a primeira vez que uma equipa do sul atingia esse feito. Nos dois anos seguintes estiveram envolvidos na luta pelo primeiro lugar, acabando por terminar no segundo lugar e sagrando-se de novo campeões na temporada de 1989/90.

Maradona era o símbolo perfeito do que se desejava num nº10, qualidade técnica acima da média, excelente capacidade de passe e boa capacidade de drible. Adversários como Franco Baresi admitiram mais tarde que o Argentino foi o adversário mais complicado de enfrentar, um atestado da força imparável de el pibe.


Para além de continuar com o seu mau feitio, o jogador agravou a situação ficando cada vez mais dependente da droga, especialmente a cocaína. Apesar disso, tornou-se o melhor goleador de sempre do Nápoles e levando o clube aos melhores momentos da sua história, tanto a nível interno como na Europa onde conquistou uma Taça Uefa.

Caiu em desgraça com um castigo de 15 meses, saindo em desgraça para o Sevilha em 1992, ficando somente um ano antes de voltar para a Argentina para o Newell's Old Boy e em 1995 voltou ao Boca Juniors, onde terminou uma carreira que andava já longe da glória de outros tempos.

Pela sua selecção foi o principal obreiro do Mundial de 1986, apesar de ter usado a infame mão de Deus nessa caminhada vitoriosa. Em 1990 uma lesão impediu-o de actuar ao seu melhor nível, ajudando mesmo assim o seu país a chegar a uma final onde perdeu por 1-0 diante da Alemanha. Jogou ainda no Mundial de 1994, onde chegou a marcar um golo, antes de ser enviado para casa depois de ter falhado num teste anti drogas.

Foi sem sombra de dúvidas um dos melhores de todos os tempos, e ficará para sempre na história do futebol.



















terça-feira, 8 de março de 2016

... das calças El Charro

terça-feira, março 08, 2016 0
... das calças El Charro


Mais uma marca de calças de outros tempos, que fazia companhia a tantas outras como Uniform, Mustang ou Soviet nos desejos dos pré adolescentes que queriam ter estilo. As calças El Charro eram o expoente de uma marca mexicana, fundada em 1961 mas popularizada por cá nos anos 80. Quem teve umas?













sexta-feira, 4 de março de 2016

... da Bota Botilde

sexta-feira, março 04, 2016 0
... da Bota Botilde

A Bota Botilde tornou-se um dos maiores símbolos dos anos 80 no nosso país, seja na sua versão televisiva como mascote do programa 1,2,3, seja na versão brinquedo que deu origem a uma boa variedade de merchandising. Quem não andou aos pulos com uma destas no seu pé?

Criada por Jaime Aguillo em 1983, foi também mascote no programa espanhol, apesar de não ter tido o mesmo sucesso que teve no nosso país, onde aparecia logo no genérico cantando a música do programa. Apesar de ser um dos prémios menos desejados pelos concorrentes, eram muitas as criançs cá fora que a queriam e por isso exista diverso merchandising para satisfazer essa procura.














quarta-feira, 2 de março de 2016

... das motos Famel

quarta-feira, março 02, 2016 0
... das motos Famel


Já aqui falei das Casal Boss, e hoje recordarei outra fábrica Nacional que marcou muitos de nós, a Famel. Sediada em Águeda, foi um dos maiores expoentes nacionais, sendo uma das marcas mais populares entre as décadas de 60 e 80.

A Famel dominou o mercado nacional durante três décadas, e muito disso foi devido aos motores Zundapp, conseguindo inclusive um acordo com a marca Alemã para que esta não fornecesse outras empresas nacionais. A empresa foi lançando modelos bastantes populares como o XF-17 (uma réplica de uma Suzuki Stinger), equipada com um motor Zundapp de 5 velocidades, 7.1 cv e refrigerada a água ou ar, tornou-se o supra-sumo da companhia e ainda hoje é procurada por muitos, que a querem ter na sua colecção para a poder restaurar.

Foi no final dos anos 70 que este modelo fez parte dos sonhos de muito jovem Português, mas outros modelos tiveram sucesso como a XF-21 que com a sua cor vermelha destacava-se bastante das demais, ou a XF-25, todas bastante populares nos anos 80. Assim como as outras marcas nacionais, a Famel sofreu dificuldades com a concorrência que sofreu com a entrada de Portugal na CEE, abrindo falencia em 2002 depois de inúmeros processos em tribunal. Quem teve uma?