2016 - Ainda sou do tempo

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

... dos Sucedâneo de Chocolate

sexta-feira, dezembro 30, 2016 0
... dos Sucedâneo de Chocolate

Os Sucedâneo de Chocolate fazem parte da memória de muita criança da década de 70 e 80, já que havia um familiar que oferecia uma destas e que nós comíamos como se fosse mesmo chocolate. A esmagadora maioria era de origem espanhola, e havia quem vendesse isto na rua, para ganhar mais algum.

Os Sucedâneo de Chocolate são feitos com Cacau, gordura vegetal e adoçantes. Devido a ter ingredientes de menor qualidade, era bastante mais barato e a maioria das crianças ficava satisfeita com isso. Confesso que não era fã, mas sei que sou uma minoria. Quem se lembra?










terça-feira, 27 de dezembro de 2016

... da Fava e do Brinde no Bolo Rei

terça-feira, dezembro 27, 2016 0
... da Fava e do Brinde no Bolo Rei

Todos aqueles que foram crianças na segunda metade do Século XX, lembram-se bem do entusiasmo que era ao comer o Bolo Rei, só para descobrirmos a quem calharia o brinde, ou então a quem sairia a fava. O valor de ambos era o mesmo, já que os brindes não eram nada de especial, mas a coisa valia pela diversão e emoção de tudo aquilo.

Para percebermos isto, podemos olhar para a lenda, que fala da forma como os três Reis Magos decidiram aquele que seria o primeiro a dar a prenda ao menino Jesus. Escondeu-se uma fava num bolo, e o que calhasse com a fatia "premiada" seria então o primeiro. Pode-se também olhar para o factor histórico, já que foram os Romanos a usar a fava no Bolo, para escolher aquele que seria o rei da festa (nas festas realizadas para celebrar o solstício de Inverno), e que a igreja católica aproveitou para juntar ao conceito todo da natividade. Os brindes vieram mais tarde, e passaram de moedas de ouro a objectos metálicos de valor simbólico..

Por cá, o primeiro Bolo Rei foi apresentado em meados do Século XIX, com o filho do fundador da confeitaria nacional em Lisboa a trazer a receita de Paris. As normas comunitárias fizeram com que se acabasse com a história dos brindes e das favas lá dentro, mas Quem se recorda da brincadeira e alegria que era para ver a quem saía o brinde ou a fava? E quem esburacava o bolo para ver se encontrava algo?

Foto retirada de http://ciclomaluco.blogspot.pt/




Alguma info retirada de ciclomaluco.blogspot.pt







segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

... do Yoggi a bebida viva

segunda-feira, dezembro 26, 2016 0
... do Yoggi a bebida viva

Os Yoggi continuam aí no mercado, mas vou aqui recordar dos primeiros anúncios que vi desta marca, que nos mostrou que podíamos também beber iogurtes. ´

A Longa Vida já era conhecida por todos nós, mas no final da década de 80, apresentou-se de uma forma jovem e moderna, apresentando um iogurte líquido, algo que dava uma aparência radical e que tinha tudo a ver com os anos 80.

As primeiras embalagens eram muito semelhantes ao que já conhecíamos e nada prático para transportar, especialmente se queríamos levar nas mochilas ou assim. O slogan era cativante "Yoggi a bebida viva", e um anúncio jovem e animado apresentava-nos o produto de uma forma fixe e divertida. A música era também cativante "Yoggi é iogurte para beber, Yoggi tem a vida em cada sabor".

Nos anos 90 mudou-se para as convencionais garrafas de plástico, muito mais práticas de transportar e de beber o iogurte. Começaram a aparecer outras marcas no mercado, mas Yoggi teve sempre um cantinho especial no coração daqueles que foram crianças e adolescentes nos anos 80. Não há muito tempo, fizeram uma campanha engraçada com o slogan "Custa a engolir?". Quem bebeu disto nos anos 80?






Imagem de Enciclopedia Cromos









quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

... do filme Que Paródia de Natal

quinta-feira, dezembro 22, 2016 0
... do filme Que Paródia de Natal

Sou fã de Chevy Chase, e este filme é um dos meus preferidos com este actor. Que Paródia de Natal mostra como uma família toda junta, pode tornar uma época de paz numa grande confusão, mas que no final o amor e os espírito Natalício prevalecem sobre tudo.

National Lampoon's Christmas Vacations (Que Paródia de Natal em Portugal, Férias Frustradas de Natal no Brasil) foi escrito por John Hughes e realizado por Jeremiah S. Chechik, estreou em 1989 e foi o terceiro da série Vacation. Chevy Chase liderava o elenco, acompanhado por Beverly D''Angelo e Randy Quaid, e como nos outros, cumpriu-se a tradição de ter actores novos como seus filhos.

Tornou-se um clássico de Natal moderno, mostrando as dificuldades de um pai sem subsidio no emprego, e com as dificuldades de ter uma família peculiar toda junta debaixo do mesmo tecto. O primo Eddie rouba a cena como sempre, com os seus métodos repugnantes a fazerem-nos sempre soltar uma gargalhada. As trapalhadas de Griswold na tentativa de colocar as decorações, cortar a árvore ou a interagir com outros membros, ajudam a que este seja um filme bastante divertido.

















sábado, 17 de dezembro de 2016

... do Jogo da Cobra da Nokia

sábado, dezembro 17, 2016 0
... do Jogo da Cobra da Nokia



Os utilizadores de Nokia 3310 recordam-se deste jogo, era uma das imagens de marca dos telemóveis da Nokia e uma das melhores formas de passar o tempo. O jogo da Cobra seguia os princípios básicos de jogos do género, o ir aumentando a velocidade aos poucos, até que a dada altura era quase impossível controlar a cobra.

O design do jogo foi baseado na máquina Arcade Blockade, desenvolvido pela Gremlin em 1976. Nos anos seguintes começaram a sair cópias e variantes para diferentes máquinas, como Atari ou Commodore, e em 1997 saiu uma versão pensada especialmente para o Nokia 6110. No ano 2000, sai a versão Snake II no mítico Nokia 3310, tornando o jogo parte da cultura popular. Nestes dois, era uma versão monocromática, sendo o cinzento, preto e branco as cores predominantes.

Com o evoluir dos telemóveis começaram a surgir versões melhoradas do jogo, saindo uma versão colorida em 2002, chamada Snake EX e vinha instalada no Nokia 9290 e 6260. Chegou a sair uma versão 3D no N-gage, mas nenhum com a popularidade dos dois primeiros.














terça-feira, 13 de dezembro de 2016

... do Anúncio "diga bom dia com Mokambo"

terça-feira, dezembro 13, 2016 0
... do Anúncio "diga bom dia com Mokambo"


Recordar aqui hoje um anúncio que ficou para sempre na nossa memória, o do "Diga bom dia com Mokambo". Este reclame a uma mistura solúvel de cevada e café da Nestlé, tinha um single que ficava na cabeça, fosse ma versão cantada por crianças, fosse a com um ritmo mais mexido. "Diga Bom Dia com Mokambo, Mokambooo, Mokambooo"










quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

... da música All i want for Christmas is you

quarta-feira, dezembro 07, 2016 0
... da música All i want for Christmas is you

Hoje volto a ter um convidado a escrever no blog, neste caso uma convidada, que nos vai ajudar a recordar uma das músicas mais tocadas na quadra natalícia, o All i want for Christmas is you da Mariah Carey. Ano após ano é a canção mais tocada no Natal, e também a líder nos downloads. Vamos então ao texto de Fernanda Sousa Fontes.

Mariah Carey foi Rainha nos anos 90. Por muito que não concordem, temos de olhar para os números.Só nessa década, estima-se que vendeu para cima de 150 milhões de discos. Entre vários sucessos musicais, tais como Hero, Always Be My Baby e One Sweet Day, criou esta épica melodia que é e, muito provavelmente continuará a ser, durante muitos anos a música mais ouvida na época natalícia.

Na década de 90 foi a canção de Natal mais ouvida no mundo e até 2013 já rendeu mais de 50 milhões em royalties à sua compositora.

Estávamos no mítico ano de 1994, a 1 de Dezembro, quando Mariah lançou o seu 4º álbum de estúdio, Merry Christmas, que vendeu mais de 15 milhões no mundo inteiro (só o álbum, o single vendeu outros 14 milhões). Esta obra conta com vários covers natalícios e dois originais escritos por Mariah; All I Want for Christmas Is You e Miss You Most (At Christmas Time). – Para quem não sabe, ela escreve e produz todos os seus trabalhos musicais.

Foto da colecção pessoal da autora do texto

O lançamento de All I Want for Christmas Is You antecedeu o álbum, e a 1 de Novembro já todas as rádios a punham a tocar, quase sem parar. Foi sucesso instantâneo, aclamado pela critica e, temos de admitir, o mundo precisava disto. É uma melodia alegre, uptempo, com sinos, background vocals fantásticos e fala sobre alguém que não quer saber das prendas, dos enfeites, nada disso. Apenas quer estar junto do seu amado durante a época natalícia. E não é isto que todos nós queremos?

Desde 1994, tornou-se na banda sonora padrão do Natal. E todos os anos chega ao topo dos charts natalícios e ao 1º lugar do iTunes. Não há Natal sem a Mariah e, da mesma forma, não há Mariah sem Natal. Ela vive esta época com uma imensa intensidade, adora tudo o que esteja relacionado com esta quadra.

Foram gravados 2 vídeos para este single. O principal mostra várias imagens em tom antigo, estilo caseiro, de Mariah com os seus amigos de 4 patas (destaque para Jack, um Jack Terrier), a brincar na neve ou a abrir as prendas, em frente à árvore de natal. Tommy Motolla, o seu primeiro marido e presidente da Sony na altura, também aparece vestido de Pai Natal. O segundo vídeo tem uma vibe anos 60, e foi feito em homenagem às The Ronettes, um dos mais populares grupos femininos da década de 60.



Uma coisa é certa: todos os anos, quando começa a chegar o Natal… começamos a ouvir Mariah nas rádios e nos centros comerciais.



                  





                



segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

... da A Minha Agenda da RTP

segunda-feira, dezembro 05, 2016 0
... da A Minha Agenda da RTP


Era um dos anúncios míticos do Natal, já sabíamos que estava perto quando se ouvia o jingle "Para o Natal, o meu presente, eu quero que seja, a minha Agenda, a minha Agenda la la la". A Minha Agenda era uma colaboração da RTP e da Editorial o Livro, apareceu na segunda metade dos anos 80 e todas as crianças queriam uma pelo Natal.

O jingle contribuía para esse desejo, afinal era uma simples agenda, apenas mais colorida e com algumas coisas interessantes para a petizada. Como dizia o slogan "uma prenda para o ano inteiro", já que depois podíamos apontar lá as coisas, mas na verdade o que uma criança podia apontar numa agenda? Muitos usavam como diário, não se limitando a ler só as coisas que lá vinham, como receitas, como fazer brinquedos ou outras coisas interessantes para uma criança.

Existiu entre 1986 e 1998, nunca tive uma, mas cheguei a ler a de um vizinho, que era meu amigo. Quem teve uma?


Foto retirada de Enciclopedia Cromos







sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

... do Castelo de Grayskull

sexta-feira, dezembro 02, 2016 0
... do Castelo de Grayskull

Foi uma das prendas de Natal mais desejadas dos anos 80, os que a conseguiram eram alvo de inveja, e os outros ficavam a chorar, com a esperança de o poder receber no ano seguinte. O Castelo de Grayskull parecia algo imponente, e sendo um dos maiores destaques do desenho animado, normal que fosse também algo muito apetecível.

O Castelo de Grayskull era um dos locais mais importantes do universo que era mostrado nos desenhos animados de He-Man e She-Ra. Tinha uma aura de mistério em seu redor, sabíamos apenas que abrigava uma fonte de poder muito importante, onde vivia a feiticeira Zoar e servia de refúgio para He-Man e os seus companheiros.

Logo no genérico de ambos os programas, o castelo tinha grande destaque, já que ambos os heróis precisavam de erguer as suas espadas e recitar algo para obter os seus poderes. O design era algo impressionante para uma criança dos anos 80, uma grande fortaleza de pedra, com duas torres frontais a ladear a entrada que tinha a forma de um crânio. A boca tinha a ponte levadiça, com uns enormes dentes na lateral. Os anúncios nas revistas de BD ainda nos fazia o querer mais.

Os bonecos dos Masters do Universo já eram carotes, muitos (como eu), nunca tiveram nenhum e era algo que magoava um pouco. O Castelo era algo ainda mais caro e quase inatingível, e fiquei feliz quando consegui ter um já com mais de 30 anos de idade, uma prenda bem estimada de um amigo de infância. Quem teve um?










quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

... dos Pinheiros de Natal enfeitados com bolas de vidro

quinta-feira, dezembro 01, 2016 0
... dos Pinheiros de Natal enfeitados com bolas de vidro
Imagem retirada de http://historiaschistoria.blogspot.pt/
Gostava quando tinha que ir com o meu Pai, para irmos apanhar um pinheiro que servisse como Árvore de Natal. A casa era pequena, ou vínhamos com um pequeno ou por vezes parte de um grande. Lembro-me bem da sensação de ter os dedos peganhentos por causa da resina, das agulhas/pontas caídas no chão ao transportar o mesmo, e do esforço que era para o colocar dentro de um vaso com terra.

Depois era a tarefa divertida de o decorar, umas fitas que iam ficando fanhosas de ano para ano e umas bolas de vidro super lindas. Durante uns 10 anos,, ou até mais, que não me lembro de se usar coisas novas, ficava tudo dentro de uma caixa em cima do guarda-fato, até o ano seguinte. Quem se recorda?




Foto retirada de http://historiaschistoria.blogspot.pt/









segunda-feira, 28 de novembro de 2016

... da Máquina de furos da Regina

segunda-feira, novembro 28, 2016 0
... da Máquina de furos da Regina

O conceito da Máquina de furos dos chocolates Regina era um pouco estranho, mas a verdade é que todos nós achávamos piada e queríamos experimentar a nossa "sorte". Nunca se ficava a perder, só que em vez de pagarmos e escolhermos o sabor do chocolate que queríamos, com esta máquina não sabíamos o que nos podia calhar.

Para além de presença habitual nos cafés, tascas e mini mercados, a Regina fazia edições especiais para festas e para a feira popular. Ficou na memória de todos quando, no começo da década de 60, o presidente da república Américo Thomaz apareceu a experimentar uma destas máquinas. Um aparelho com cartela amovível, a qual tinha 140 furos que davam direito a uma bola colorida que iria corresponder ao chocolate que nos seria depois entregue.

Uma das razões aventada para a razão da sua retirada, era que era considerada uma máquina de jogo de azar. Em 2014 foi reeditada uma versão da máquina, e foi lançada até uma versão portátil para se usar em casa. Quem usou uma destas?











quarta-feira, 23 de novembro de 2016

... do Teletexto

quarta-feira, novembro 23, 2016 0
... do Teletexto

O Teletexto ainda existe, mas longe da popularidade que teve por cá na viragem do Século, altura que a RTP apostou em força neste tipo de serviço. Notícias de jornais, informações úteis e guia de programação, eram algumas das coisas que podíamos ver no nosso televisor, isto para além de salas de chat.

O sistema de Teletexto foi desenvolvido no Reino Unido, sendo implementado na década de 70, possibilitando a todos que tivessem um televisor com sistema PAL, o acesso a informações úteis, como notícias nacionais e internacionais, previsão do tempo ou a programação dos canais, entre outras coisas. Era como um sistema de internet,

Em Portugal apareceu em 1997, com a RTP a prestar este serviço público, que fez muita pessoa comprar um televisor com sistema PAL, para poder usar este sistema. Os outros canais disponibilizaram também o Teletexto, mas o da RTP era o mais popular, e muitas pessoas usavam o sistema de chat para marcar encontros.

Ainda é usado hoje em dia, especialmente na legendagem para deficientes auditivos, mas com a popularização das boxs de televisão, e da internet, está longe do uso que se dava no final do Século XX.












sábado, 19 de novembro de 2016

... das Carteiras Dunas

sábado, novembro 19, 2016 0
... das Carteiras Dunas


Hoje deixo só aqui umas imagens, de algo que muitos quiseram ter, uma carteira da marca Dunas. Eram das carteiras de velcro mais populares, sempre com cores vibrantes e um interior colorido, sendo na sua maioria carteiras "grandes", que se desdobravam em 3. Quem teve uma?














quarta-feira, 16 de novembro de 2016

... dos Livros do Petzi

quarta-feira, novembro 16, 2016 0
... dos Livros do Petzi

Hoje recordar mais um clássico da editora Verbo, os livros do Petzi. Um pequeno urso de origem nórdica, que fez furor na década de 80, quase todos os que tiveram um livro destes nos anos 70 e 80, guardam com carinho essa recordação.

Carla e Vilhem Hansen criaram Rasmus Klump (nome original) e publicaram a primeira história num jornal da Dinamarca, uma pequena tira com os textos por baixo, a 17 de Novembro de 1951. A mesma teve logo uma grande aceitação e daí para os livros foi um pequeno passo. De ar anafado, Petzi é bonacheirão e, apesar de bem intencionado, coloca-se quase sempre em situações um pouco complicadas, vivendo aventuras bastante animadas. Acompanhado pelos seus amigos Riki (um pelicano), Pingo (um pinguim), Almirante (um leão marinho) e ainda uma tartaruga bebé.

O meu preferido é mesmo o primeiro, Petzi e o seu navio, onde podemos ver ele e os seus amigos constroem um pequeno navio para poderem viver grandes aventuras. Apesar de não ser fã de livros com ilustrações e texto, a construção das histórias dava uma boa fluidez a tudo. Existiam duas variantes, uns mini livros deste género, e uns maiores em estilo banda desenhada, mas sem balões.


A Verbo editou 36 volumes desta colecção, entre 1976 e 1987, com a versão portuguesa a cargo de Ana Paula Guimarães. Para além das aventuras que vivia, todos recordamos da paixão que ele tinha por panquecas, feitas pela sua mãe e que ele devorava de uma só garfada. Eis a lista dos livros:

1. Petzi e o Seu Navio
2. Petzi e a Baleia
3. Petzi descobre um Tesouro
4. Petzi no País do Sono
5. Petzi nas Pirâmides
6. Petzi na Ilha das Tartarugas
7. Petzi no Polo Norte
8. Petzi Alpinista
9. Petzi Agricultor
10. Petzi faz Colheita
11. Petzi dá a Volta ao Mundo
12. Petzi Mergulhador
13. Petzi na Ilha de Robinson
14. Petzi na Pingonésia
15. Petzi procura o Gambosino
16. Petzi e a Mãe Peixe
17. Petzi Rei
18. Petzi no Castelo
19. Petzi na Gruta Encantada
20. Petzi e o Submarino
21. Petzi e o João Pouca Terra
22. Petzi e o Irmão mais Novo
23. Petzi no País dos Bzus
24. Petzi na Regata
25. Petzi e os Papões
26. Petzi no Alto Mar
27. Petzy procura o Mary
28. Petzi e o Dia dos Anjos
29. Petzi Viaja pelo Rio
30. Petzi procura o Avô
31. Petzi Mestre-de-Obras
32. Petzi encontra o Tic-Tac
33. Petzi tem Boas Ideias
34. Petzi e o Ladrão de Panquecas
35. Petzi toma Banho
36. Petzi e os Fantasmas


Quem mais se recorda destes livros? Quais os vossos favoritos?








sábado, 12 de novembro de 2016

... do MSN Messenger

sábado, novembro 12, 2016 0
... do MSN Messenger

Juntamente com o mIRC, o MSN Messenger era o sistema de chat por excelência de quem começou a usar a internet no virar de Século. Permitia conversas mais pessoais, webcam, jogos visualmente mais atraentes e outras brincadeiras que divertiam o pessoal. Durou 14 anos e ainda hoje é recordado com saudades por muitos de nós.

O MSN Messenger começou a sua actividade em 1999, desenvolvido pela Microsoft, tratava-se de um sistema de chat entre clientes de PC, gratuito e bastante apelativo. Até o final do Século, permitia que, para além do texto e mudanças que se podia fazer no mesmo, pudéssemos fazer alterações na janela de chat, com especial incidência no facto de podermos colocar uma imagem para nos identificar, ficando numa pequena janela visível tanto para nós, como para com quem falávamos.

Foi com o aparecimento do XP que começaram as grandes mudanças no programa, como conversas de voz, ou o facto de podermos criar chats em grupo. Podia-se utilizar na mesma em versões antigas do Windows, apenas foi-se cada vez mais estreitando a ligação entre o sistema operativo e o programa de chat. Em 2002 já podíamos ouvir música, transferir ficheiros, webcam e no ano seguinte começaram a aparecer mudanças para podermos alterar o tema da janela, os avatares personalizados e uma galeria extensa de emotions para animar as conversas do pessoal.


Em 2005 surgiram os Wink, emotions animados e que podiam abanar a janela, sendo a última grande alteração durante o nome MSN Messenger, já que foi nessa altura que começou a ser conhecido como Windows Live Messenger, ficando assim até 2013 onde foi descontinuado para dar lugar ao Skype.

Todos temos um carinho especial por este sistema. Era engraçado podermos alterar a nossa foto e o nosso "nome", podendo casar as duas coisas de uma forma divertida. A dada altura ainda era possível um texto por baixo do nosso nome, onde podíamos colocar algo para dizer se estávamos disponíveis ou não. Quem nunca fez um "nudge" para abanar a janela de chat? Foi o Rei destes sistemas de conversação e nunca se entendeu bem o porquê de o descontinuarem. Quem mais tem saudades?