0

Voltar às arte marciais aqui no blog, para relembrar Kung Fu, uma série mítica dos anos 70 (e 80 quando foi repetida) com David Carradine no principal papel. Foi sucesso absoluto, aproveitou muito bem todo o fascínio que havia pela cultura oriental nessas décadas, misturando também com um pouco de cowboyada e ficou até hoje na memória de todos.

O produtor Ed Spielman criou o conceito da série ainda na década de 60, conhecedor da cultura oriental e do Kung Fu, quis retratar a vida de um viajante que tinha aprendido sua técnica com monges Shaolin. Existiram sempre rumores de que a ideia tinha partido de Bruce Lee, que queria estrelar uma série do género e a tentava vender à Warner Brothers mas era sempre recusado, mas já apareceram papéis suficientes para deixar essa teoria de lado. A série Kung Fu foi então produzida, estreando em 1971 com David Carradine a ser escolhido para o papel principal e que teve 3 temporadas e 63 episódios.

O conceito era bastante interessante, um viajante vindo da China a aventurar-se pelo Velho Oeste Americano, mostrando todos os ensinamentos orientais e vivendo aventuras combatendo os modos ocidentais de uma forma que ninguém estava à espera. A ABC encomenda então um filme onde podemos ver Carradine como Kwai Chang Caine, estreando-o em Fevereiro de 1972. Com o sucesso nas audiências, a estação encomendou uma série que estreou em Outubro desse ano e que ficou famosa por ser respeitadora do que retratava, os ensinamentos orientais eram apresentados de forma clara e as cenas de luta ganhavam outra intensidade com o uso da câmara lenta.


Keith Carradine representava o jovem adolescente Caine, enquanto que Radames Pera nos mostrava como ele era enquanto rapaz. Keye Luke interpretou o carismático mestre cego Po (conhecido pelo uso do termo Gafanhoto enquanto ensinava Caine), enquanto que Philip Ahn era o mestre Kan, Caine depois de se tornar um autêntico monge Shaolin, parte em busca do seu meio irmão Danny Caine, que tem conhecimento de se encontrar no Oeste Norte-Americano, enquanto que fugia da China devido a ter morto um importante Nobre da região.

O mestiço Chinês-Americano fica assim com a cabeça a prémio e é perseguido por caçadores de recompensas, forçando-o muita vez a entrar em lutas que ele tentava sempre evitar. O programa também utilizava bastante o conceito de flasbacks, onde Caine recordava o seu tempo no mosteiro e os ensinamentos que tinha recebido ali.

No Brasil foi um sucesso da Rede Globo na década de 70, enquanto que em Portugal passou na RTP tanto nos anos 70 como na década de 80 quando foi repetida de tarde (altura em que a vi). Foram feitos mais alguns filmes ambientados na série enquanto que na década de 90 foi produzida uma nova série mostrando as aventuras do neto de Caine. Aliás o final da terceira temporada da série original, terminou em beleza com o reencontro da família Caine, fechando em beleza toda aquela epopeia.











Enviar um comentário Blogger