0

Já aconteceram várias colaborações entre actores Portugueses e Brasileiros, em 1993 tivemos a oportunidade de ver uma série produzida no Brasil para ser transmitida por cá, com o nome de Cupido Electrónico. Um programa de humor que focava um pouco nas diferenças entre os dois países e nas aventuras de uma loja de vestidos de Noivas com uma dona muito casamenteira.

Cupido Electrónico teve 26 episódios, transmitidos entre 15 de Março e 07 de Setembro de 1993, uma criação de Jayme Camargo com produção da Septimis e TV Machete para a RTP, que a transmitiu em horário nobre no Canal 1, primeiro à Segunda-feira e depois à Terça. Apesar de se usar as imagens do Cascaishopping, toda a acção era gravada no Brasil onde o programa foi filmado com direcção de Cecil Thiré (curiosamente o filho da protagonista).

Tônia Carrero era então a protagonista, interpretando o papel da estilista Nenete que veio para Portugal tentar a sua sorte após um divórcio complicado. Chegando cá reencontrou Cardoso (Joaquim Rosa), dono do shopping onde viria a abrir a loja e com quem já tinha tido algo há uns anos atrás. Para capitalizar os sentimentos que a sua antiga paixão Portuguesa ainda sentia, Nenete fazia-se ainda mais de coitadinha e obrigava o seu costureiro (que ela tinha trazido do Brasil, e com o qual mantinha um caso amoroso) Roberto (José de Abreu) a fazer-se passar por gay.

Imagem retirada de http://www.brincabrincando.com/
O problema partia de Balbina, a irmã de Cardoso interpretada pela grande Luísa Barbosa que volta a fazer de vilã mas aqui com uma veia cómica sempre muito presente. Era a minha personagem favorita, sempre a chamar todos de estúpidos e contra a sirigaita brasileira que incomodava o seu irmão. Cuida com a ajuda dos seus dois afilhados, que a ajudam sempre nos seus planos mas estes fracassam sempre.

No papel dos afilhados encontramos os Portugueses Rita Blanco e Nuno Melo, que são mais simples e ingénuos que a sua madrinha. Não era muito fã da série, mas era aquela típica que eu ficava a ver porque não estava a dar mais nada, em todo o caso amava as cenas onde entrava a Luísa Barbosa. Lembro-me da série ser bem publicitada pela RTP que trouxe cá Tônia Carrero e a fez promover o cupido em diversos programas da estação.















Enviar um comentário Blogger