0

Houve uma altura que em vez de andarmos com pen usb para pedirmos ficheiros, jogos ou algo para o computador, tínhamos que andar com umas disquetes onde se iria gravar então o que queríamos e depois instalarmos em casa.

Apanhei pouco das Disquetes "gigantes" e quando precisei de as usar já as de 3,5 polegadas dominavam o mercado e era comum ver caixas com umas dezenas de disquetes dentro para podermos apenas nos divertir com um simples jogo por exemplo. Como elas não tinham muita capacidade de armazenamento, podíamos ter que inserir várias disquetes para instalarmos a coisa (e para a gravar) e mal de nós se não tivéssemos uma disquete à mão para gravarmos algo no instante e não corrermos o risco de ficar sem aquilo.

Como maior parte das coisas não eram muito "pesadas", uma disquete até podia dar para gravar várias coisas nela, mas tínhamos que ter cuidado no seu transporte e manuseamento porque eram um pouco frágeis e aptas a estragarem-se. Os vírus começaram a aparecer por este meio, alguém gravava um ficheiro infectado e pronto, estava tudo estragado.

Apareceram na década de 70, e já foram uma das coisas essenciais para o trabalho em computador, hoje é apenas usada em algumas situações e deixou de ter a importância que já chegou a ter.














Enviar um comentário Blogger