0

Ainda sou do tempo em que ir para o quarto sem brinquedos e sem televisão, não era necessariamente uma má coisa, a nossa imaginação trabalhava a todo o vapor e tratava de encontrar diversão em todos os cantos do quarto, desde o subir por uma porta à Homem-Aranha, ao saltar em cima da cama.

Toda a criança gosta de saltar em cima da cama, deve ser o ver-se mais alto do que o costume, o barulho das molas a darem de si a cada salto que damos, a sensação na barriga e o vento na cabeça de estarmos ali aos saltos sem parar e a ver o nosso quarto de outra perspectiva. Sem sombra de dúvidas uma das nossas brincadeiras preferidas, de todo o sempre.

Logicamente uma que significava quase sempre uma boa chinelada e um castigo certo, afinal isso estava a dar cabo do nosso colchão, apesar de para nós isso não ser motivo para pararmos de fazer isso. Outra brincadeira comum também se passava em cima do colchão, por norma por baixo dos cobertores e fazendo-se uma espécie de "caverna" ou "forte" e imaginarmos que estávamos numa qualquer situação emocionante e não simplesmente por baixo de um lençol.

Uma das mais emocionantes era a que nos fazia tentar subir pela nossa porta do quarto, esticávamos bem os braços e as pernas e tentávamos subir pelas duas "paredes" opostas da entrada para o nosso quarto. Parecíamos o Homem-Aranha e ficávamos ali todos orgulhosos, apesar de por vezes ser complicado descer dali sem a ajuda de alguém, algo que iria significar mais um castigo.

Nem falo da animação que podia ser se tivéssemos uma caixa vazia de cartão no nosso quarto, essa caixa podia virar facilmente um barco, uma nave espacial ou outra coisa qualquer na nossa imaginação. Sempre fomos forçados a imaginar muita coisa, e estes momentos no quarto, sem podermos brincar com mais nada eram mais um desses casos, e que por vezes podia significar na mesma em muita diversão.







Enviar um comentário Blogger