0


Sim, Sr, Ministro (Yes Minister) foi uma das melhores séries de humor Britânico de todos os tempos, uma escrita inteligente e um conceito que surpreendia tudo e todos mostrando que se podia fazer rir com uma série feita de uma forma sóbria e digna.

A série tinha a chancela da Thames e foi transmitida pela BBC no começo dos anos 80 (de 25 Fevereiro de 1980 a Dezembro de 1982) tendo três temporadas num total de 21 episódios. A série foi criada por Anthony Jay e Jonathan Lynn, e a RTP a transmitia em horário nobre na segunda metade da década de 80. Lembro-me de ouvir a música e ficar a olhar para aquele genérico, intrigado por aquelas caricaturas exageradas e por ver se era mais uma série no género do Allo Allo ou Benny Hill, a verdade é que não percebia muito do humor nela apresentado e só mais tarde pude apreciar na íntegra a qualidade daqueles textos e daquelas interpretações.


Acho genial como as maquinações da vida política e dos jogos políticos eram apresentados de uma forma repleta de humor. Foi a única série a receber o prémio BAFTA para Melhor Série de Comédia em três anos consecutivos (1981, 1982 e 1983). A série provou que o público estava receptivo a este tipo de humor mais inteligente, algo que foi sempre constante na chamada Britcom, mas que ganhou outro expoente a partir desta série.

Tudo começa quando se forma um novo governo. James Hacker (Paul Eddington) é o recém-nomeado ministro dos assuntos administrativos britânicos, e com entusiasmo entra determinado a fazer algo de positivo para se manter popular e promover o seu nome, decidindo cortar nas despesas extra do governo. É o retrato do político moderno de ideias brilhantes mas com ambição de poder fazer carreira, mas que aos poucos apercebe-se de que tem as mãos atadas pela burocracia.

O problema maior vinha do esperto e astuto secretário permanente do departamento, Sir Humphrey Appleby (Nigel Hawthorne), um funcionário público de carreira com opiniões opostas às do ministro e que fazia de tudo para o impedir de brilhar. O secretário particular do ministro Bernard Woolley (Derek Fowlds) é apanhado no meio desta rivalidade entre os dois. Apesar de querer ser simpático para Hacker e apoiar os seus planos, é um funcionário civil e demonstra alguma lealdade para com o serviço público e para com Sir Humphrey.

Tenho os dvd's destas primeiras temporadas e é um mimo poder ver todas estas tropelias tantos anos depois, e ainda me conseguir rir a bom rir com aquilo tudo. A série teve uma sequela, que também foi transmitida pela RTP, em que Hacker conseguia finalmente chegar a Primeiro Ministro, mas mostrou-se ser inferior à sua antecessora, tendo ainda assim duas temporadas de oito episódios cada de Janeiro de 86 a Janeiro de 88.

Mas são as primeiras três que todo o fã de bom humor Britânico tem que assistir para poder se rir com alguns dos melhores textos em comédia televisiva.







Enviar um comentário Blogger